Produção de Vinho - Fenadegas
Escrita por: FENADEGAS em Agosto 18, 2021 em Artigo

(PUBLICAÇÃO: ANDOVI – Associação Nacional das Denominações de Origem Vitivinícolas – julho 2020)

NOTA PRÉVIA

Dado que ainda se mantem a situação de crise epidémica da Covid-19 pensamos ser ainda atual as recomendações abaixo previstas que podem ser implementadas e que vão ao encontro das recomendações da DGS para que se garantam as condições necessárias à proteção de saúde de todos os colaboradores durante o trabalho da vindima que se aproxima. “As recomendações aqui contidas podem a qualquer instante ser modificadas de acordo com a evolução da situação de saúde e as recomendações da DGS em vigor no momento da vindima. Este guia não constitui, nem uma norma, nem um elemento regulador, nem cria nenhuma nova obrigação. Os elementos descritos são fornecidos para fins informativos e pretendem constituir um apoio às empresas para a organização das vindimas, neste contexto particular. Cabe a cada agente económico avaliar a sua capacidade de cumprir as medidas propostas ou de adaptá-las, se necessário, em conformidade com as recomendações governamentais, com um objetivo principal: proteger a saúde de todos os colaboradores tomando todas as medidas necessárias para esse fim.”

RECOMENDAÇÕES ESPECIAIS PARA A RECEPÇÃO DE UVA NA ADEGA

RECOMENDAÇÕES GERAIS

 Respeitar rigorosamente as instruções de lavagem das mãos na chegada antes de iniciar o turno, a cada intervalo: fornecer o sabão e as toalhas de papel descartáveis ou, falta de água, gel ou solução hidroalcoólica, bem como contentores adequados.

Garantir um fornecimento regular de todos esses materiais.

 Respeitar rigorosamente as distâncias de segurança (no mínimo 1,5 metros), inclusive durante os intervalos, e evitar qualquer ajuntamento.

 Equipar os funcionários com uma máscara ou viseira em todas as situações em que a distância mínima de 1,5 metros não pode ser respeitada.

 Privilegiar o uso individual de ferramentas / dispositivos / veículos. Se possível, atribuir o equipamento individualmente para toda a duração da vindima, garantindo uma marcação visível e compreensível para todos (por exemplo: nome ou cor ou número). Em caso de uso compartilhado, efetuar uma limpeza, usando um desinfetante, entre cada utilizador (vigilância particular nos pontos de contacto e, em particular, para veículos, no local de condução: volante, manípulos, assento, controles de ajuste, manípulos, etc.).

 Para a passagem de cargas, praticar a instalação e a remoção para evitar a passagem direta entre os operadores.

 Assegurar uma limpeza regular das instalações (diariamente) e do equipamento (ao chegar ao local de laboração, após o contacto de um indivíduo com outro e no final do dia de trabalho). Para todo o material em contacto com uvas ou mostos, certifique-se de usar produtos adequados.

 Limitar o acesso à prensa a qualquer pessoa que não seja essencial para o seu bom funcionamento.

OPERADORES DE EMPILHADOR

 Se possível, atribuir empilhadores individualmente pela duração da colheita. No caso de uso compartilhado fazer uma limpeza, usando um desinfetante, entre cada utilizador.

 Usar a máscara em todas as situações em que a distância mínima de pelo menos 1,5 metros não possa ser respeitada.

 Garantir a limpeza diária dos empilhadores, usando um desinfetante.

PORTA-PALETES / COLABORADORES NO CAIS DE RECEPÇÃO DE UVA E LAVADORES DE CAIXA

 Se possível, atribuir os porta-paletes individualmente para a duração da colheita. Em caso de uso compartilhado, proceder à sua limpeza com um desinfetante entre cada utilizador.

 Usar máscara ou viseira em todas as situações em que a distância mínima de um metro não possa ser respeitada.

 Evitar o uso dos porta-paletes por pessoal externo à empresa.

 Garantir a limpeza diária dos equipamentos porta-paletes, usando um produto desinfetante.

 Quando possível, limitar ao máximo o número de pessoas em contato direto com as caixas.

 Após cada sequência de manuseamento das caixas (descarregamento, carregamento, lavagem etc.), prosseguir com a lavagem das mãos ou, se necessário, luvas (fornecer os meios de higiene necessários).

COLHEITAS DE AMOSTRAS E RESPONSÁVEIS DE CARGA

 Usar máscara ou viseira em todas as situações em que a distância mínima de 1,5 metros não possa ser respeitada.

COLABORADORES NAS PESAGENS

 Garantir sempre que a distância mínima de pelo menos 1,5 metros entre o colaborador das entregas e o colaborador das pesagens é respeitada, materializando, se possível, a separação através de uma marcação no piso ou uma divisão física (por exemplo: o acrílico).

 Fornecer gel ou solução hidroalcoólica e toalhas de papel descartáveis nas proximidades da cabine de pesagem.

 Avaliar as possibilidades de limitar a troca de documentos em papel. Para todos os documentos essenciais (ex: guia de pesagem, guia de entrega), evitar, se possível, a troca de “mão em mão” (ex: depositar o documento numa bandeja ou cesta específica para o efeito, ou o uso de um bolso) ou trocar os braços estendidos para respeitar a distância mínima de 1,5 metros. No caso de contacto com um documento, lavar as mãos após o contacto.

 Limitar o acesso dos fornecedores à cabine de pesagem ao estritamente necessário.

ADEGUEIROS

 Quando possível, formar pares que não serão alterados até novo aviso/ordem.

 Usar máscara ou viseira em todas as situações em que a distância mínima de pelo menos 1,5 metros não possa ser respeitada.

 Após cada sequência de manuseamento das caixas, proceder à lavagem das mãos (colocar os meios de higiene necessários).

PARCEIROS EXTERNOS

 Se possível, comunicar previamente a empresas externas as instruções de higiene e segurança aplicáveis nas instalações.

 Se estes não tiverem equipamento próprio, equipar cada indivíduo com uma máscara em todas as situações em que a distância mínima de pelo menos 1,5 metros não possa ser respeitada (em particular no local de cargas e descargas).

FORNECEDORES DE UVAS

 Quando possível, antecipar e planificar a chegada dos fornecedores de uva à adega para evitar cruzamentos (por exemplo: pedir para prever e avisar da sua hora de chegada por SMS ou telefone).

 Pedir a cada fornecedor que permaneça no veículo enquanto aguarda a descarga.

 Antes da vindima, informar os fornecedores das regras específicas de descarga em vigor.

 À chegada de cada fornecedor, disponibilizar-lhes os meios de higiene necessários para a lavagem mãos (ponto de água no exterior e toalhas de papel e sabão descartáveis ou, na sua falta, gel ou solução hidroalcoólica).

 Usar máscara ou viseira em situações em que a distância mínima de pelo menos 1,5 metros não pode ser respeitada.

 Quando possível, limitar o acesso dos fornecedores dentro das áreas de receção e transformação de uva.

 Evitar, tanto quanto possível, o contacto direto da equipa da adega com os veículos dos fornecedores de uva.

RECOMENDAÇÕES ESPECIAIS NAS ÁREA DE FERMENTAÇÃO

ADEGUEIROS

 Quando possível, formar pares ou equipas que não serão alteradas até novo aviso/ordem.

 Limitar o acesso às cubas apenas a pessoas autorizadas.

 Usar a máscara em todas as situações em que a distância mínima de pelo menos 1,5 metros não possa ser respeitada.

 Garantir o uso individual do equipamento utilizado. No caso de uso compartilhado, verificar se cada utilizador procede à limpeza do equipamento após a sua utilização com um desinfetante (fornecer os meios de higiene necessários).

 Para todo o material em contacto com os mostos, usar produtos adequados.

TÉCNICOS DE LABORATÓRIO

 Usar a máscara em todas as situações em que a distância mínima de pelo menos 1,5 metros não possa ser respeitada.

 Limitar ao estritamente necessário os contactos com os operadores nas cubas.

 Garantir a lavagem das mãos após qualquer manuseamento (fornecer os meios de higiene necessários)

Tags
Deixe um comentário