i001-2000x925[1]
Escrita por: FENADEGAS em Setembro 14, 2017 em Adega da semana

A Adega Cooperativa mais antiga de Portugal

A Adega Regional de Colares é a adega cooperativa mais antiga do país, tendo como ano de fundação 1931.
Situada na região demarcada mais ocidental da Europa, Colares é Denominação de Origem desde 1908. Os solos onde nascem as uvas que irão dar origem aos néctares de adega são diferentes do resto do país, parece que estamos na areia da praia. Também o clima é muito específico devido à proximidade do oceano atlântico, sendo os ventos marítimos uma constante e a humidade elevada.

A Adega Regional de Colares reúne mais de 50% dos vinhos produzidos na região e 90% dos produtores são seus associados. Com um edifício imponente, o seu interior é deslumbrante pela sua dimensão e número de tonéis que alberga, constituindo a zona de estágio e envelhecimento em madeira por excelência. A Adega Regional de Colares é ponto obrigatório para todos os que visitam a região. Para isso, basta entram em contato com a adega – através de email ou telefone – para agendar uma visita a este magnifico espaço e usufruir dos encantos históricos do lugar, mas também apreciar e degustar os excelentes vinhos da mesma.

Visitas Adega Regional de Colares – Contatos

 

Vinhos de Colares, o que os torna distintos!

Como já aqui referimos, o microclima da região em uma importante tarefa na produção dos vinhos da adega, mas o fato de destes vinhos serem provenientes de castas autóctones, ou seja, existentes exclusivamente na Região Demarcada torna os distintos e únicos.

O vinho tinto de Colares é até hoje feito na Adega Regional de Colares de acordo com as técnicas tradicionais, arcolares_01_tinto_recortesendo composto de cerca de 80% de uvas da casta “Ramisco” e 20% de outras castas, com predominância das castas “Molar” e “João Santarém”. Quando jovem apresenta cor rubi grande agressividade taninosa, características que se vão esbatendo ao longo do estágio, o qual deve ser prolongado, em madeira e em garrafa, até atingir o auge das suas potencialidades – envelhecimento nunca inferior a 6 a 8 anos.
Durante o envelhecimento, a sua cor modifica-se para acastanhado ou alourado e, se o vinho for manuseado adequadamente – abertura da garrafa com antecedência e temperatura de 18 graus -, constata-se uma complexidade aromática relacionada com frutos secos, nomeadamente pinhão, e com frutos vermelhos, muito agradável. O seu teor alcoólico raramente ultrapassa os 12,5 graus. A produção é muito escassa, não ultrapassando as 10.000 garrafas ano.

Quanto ao vinho branco, a casta é “Malvasia de Colares”, a qual dá origem a arcolares_03_branco_recortevinhos de cor amarelo-pálido, aroma frutado e floral e gosto acídulo característico da mesma. A produção média anual ronda as 5.000 garrafas, o que torna ainda mais escasso que o tinto.

 

Estes vinhos podem ser adquiridos diretamente pelo consumidor na Adega Regional de Colares.

 

 

Aproveite o fim-de-semana, visite, aprecie, saboreie e deguste!

 

fonte: Adega Regional de Colares

Deixe um comentário